Pesquisar neste blog

Carregando...

quinta-feira, 24 de março de 2011

Em Jacundá, ex-marido ciumento mata mulher a tiros

Em Jacundá, ex-marido ciumento mata mulher a tiros (Foto: Divulgação)
Relação entre Adriana e Josimar era tumultuada. Ele está foragido
(Foto: Divulgação)
Um assassinato brutal em plena luz do dia chocou a população do município de Jacundá. A vítima, uma mulher que não aceitava os pedidos de reconciliação do
ex-marido ciumento. Josimar Moreira Alves, 38 anos, matou a queima-roupa sua ex-companheira Adriana de Souza Carvalho, 25 anos. O assassinato aconteceu no centro da cidade.

O casal viveu sob o mesmo tento por mais de dois anos quando as brigas e discussões banais chegaram ao nível de agressões físicas. De acordo com amigos da vítima, o casal chegou a se separar por três vezes, mas sempre havia uma segunda chance para os dois serem felizes até que a morte os separasse.
Na última briga protagonizada pelos dois, os ânimos foram diferentes devido Josimar ter agredido fisicamente Adriana, que decidiu se afastar do marido violento.
Nos últimos quatro meses, segundo familiares de Adriana, Josimar havia tentado uma reconciliação, sem sucesso. Adriana estava arredia aos apelos de assassino. Uma testemunha disse à reportagem que Josimar a ameaçava constantemente. “Se ela não ficar comigo, não fica com mais ninguém”, diz Josimar para os amigos.
O CRIME
Por volta das 14 horas de ontem, próximo a Prefeitura de Jacundá, Adriana foi surpreendida pelo seu ex-marido. Os dois ainda chegaram a discutir. Uma testemunha que se encontrava próximo ao local informou que ouviu quando Adriana pediu clamor pela sua vida. “Pelo amor de deus não me mate, por favor”. Foram as últimas palavras desesperadoras da vítima.
O ex, Josimar sacou um revólver calibre 38 e disparou três tiros à queima-roupa contra a mulher. Em seguida, fugiu em uma moto Broz vermelha, placa JVW 3165, Jacundá, sem deixar pistas. Adriana ainda foi socorrida por populares e levada ao Hospital Municipal, mas não resistiu aos ferimentos e morreu minutos depois. Uma criança de pouco mais de um ano ficou órfã de mãe. A Polícia Civil procura o homicida. 

Diário do Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário